Palácio da Comenda

Fotografias   |   História   |   Lendas

press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
press to zoom
 

HISTÓRIA

As origens da herdade da Comenda vêm do século XVIII, sendo um complexo industrial romano de salga de peixe, que posteriormente teve a função de torre de vigia medieval.

Em 1872, D. Maria vendeu a propriedade ao Conde Abel Henri D'Armand, diplomata e ministro francês em Portugal.

Tendo em conta que no local já havia uma pequena casa velha, o conde encomendou ao jovem arquitecto Raul Linoque, o projecto para construir o Palácio.

A data de finalização da construção não é certa, o que se sabe por alguns jornais é que em 1908 a obrar estava concluída.

Até 1980 o Palácio manteve-se na família dos condes D'Armand, tendo sido visitada por várias figuras publicas, a convite dos condes, sendo a mais conhecida a Jacqueline Kennedy. A família Kennedy era muito amiga da família D'Armand, e depois do assassinato do Presidente dos Estados Unidos da América, John F. Kennedy, em 1963, Jacqueline refugiou-se no Palácio mais e os seus filhos durante uma temporada.

Depois da morte do conde Roger Ernest D'Armand no início da década de 80, a propriedade é adquirida por António Xavier de Lima, empresário português do sector imobiliário, que fez algumas alterações ao Palácio.

Com a morte do empresário português em 2009, o Palácio ficou ao abandono, e devido a vários temporais e ao vandalismo frequente, o palácio encontra-se um estado de degradação elevado. Nesse mesmo ano o Palácio foi colocado a venda por 45 milhões de euro, e que mais recentemente passou par 50 Milhões de euro.

A Herdade da Comenda contém 600 hectares, uma praia privada, um Palácio T26 constituído por com 5 pisos, 26 quartos, em que no seu interior e nas varanda ainda pode ser visto alguns azulejos com imagens dos condes e marqueses.

Deste momento o que resta do Palácio são as paredes completamente graffitadas e alguns azulejos. Todos os vidros partidos e arrancados, bem como algumas portas, uma parte do telhado caio no corredor central, os dois pisos superiores (3º piso e Miradouro) estão instáveis e com muitas falha no chão sendo muito difícil o seu acesso.

Lenda

Reza a lenda que o conde D'Armand, pediu ao arquitecto, Raul Linoque, que dormisse no sítio onde se ia erguer as paredes deste palácio. O conde disse que era para o jovem arquitecto poder apreciar a paisagem e entrar no espírito e harmonia da serra de forma a conceber um projecto perfeito.

Mitos

Vários exploradores que já tiveram no Palácio dizem que ele se encontra assombrado. Algumas pessoas dizem ter visto vultos e vozes. 

Até se fala numa história em que 4 homens estavam a jogar as cartas na cave e mataram-se uns aos outros
no fim do jogo e são eles a causa dos barulhos debaixo da casa.

 
 

Publicado em 02 de Julho de 2019

Fotografias de Setembro de 2018