Entrada do armazém
Entrada do armazém

Entrada do estacionamento subterrâneo e armazém

Recepção e Entrada
Recepção e Entrada
Entrada
Entrada
Estrutura em Vidro
Estrutura em Vidro
Estrutura em Vidro
Estrutura em Vidro
Vista Lateral
Vista Lateral

Perspectiva Lateral na fachada principal do restaurante com vista 180º

Fachada Lateral
Fachada Lateral

Perspectiva Lateral na fachada principal do restaurante com vista 180º

Armazém
Armazém
Entrada Lateral
Entrada Lateral
Escadas exteriores
Escadas exteriores
Cupula das escadas exteriores
Cupula das escadas exteriores

Cupula em vidro das escadas exteriores do armazém e sala Bingo

Escadas exteriores
Escadas exteriores
Escadaria Central
Escadaria Central
Armazém
Armazém
Corredores
Corredores
Vista Lateral
Vista Lateral
Restaurante
Restaurante
Entrada Principal/Norte
Entrada Principal/Norte
Escadas Interiores
Escadas Interiores
Escadas Interiores em Expiral
Escadas Interiores em Expiral
Miradouro
Miradouro
Escadas Interiores em Expiral
Escadas Interiores em Expiral
Restaurante
Restaurante
WC
WC
Miradouro
Miradouro
Vista Lateral
Vista Lateral
Vista Fachada Principal
Vista Fachada Principal
 

HISTÓRIA

Mandado construir pela Câmara Municipal de Lisboa (CML), o Restaurante Panorâmico de Monsanto começou a ser planeado e projectado em 1961, pelo arquitecto Chaves Costa.

 

Foi só em 1964 que começou a ser construído, e terminou em 1967, tendo como decorações interiores, um painel cerâmico de Manuela Madureira sobre "Figuras e Cenas da Cidade de Lisboa", uma pintura mural de Luís Dourdil, um painel de azulejos de Manuela Ribeiro Soares com imagens de Lisboa antes do terramoto, e baixo relevo em granito da escultora Maria Teresa Quirino da Fonseca.

A inauguração do restaurante só aconteceu 1970, com um jantar para a despedida de França Borges da CML. No projecto do Panorâmico integrava um restaurante, uma esplanada-café, miradouro, salão de banquetes e outras salas complementares.

O Panorâmico recebeu vários eventos, onde chegou a albergar mais 600 pessoas.

Entre 1980 até 1983 o Panorâmico, na maior parte do tempo, manteve-se fechado, só reabrindo a tempo inteiro em 1984.

Em Abril de 1982, foi pedido ao arquitecto Miguel Esteves um projecto de renovação do restaurante.

Em Abril de 1984 o Panorâmico teve uma mudança de donos, e o restauraste passou a ser dividido em dois, o Templários e o Grão-Mestre, reabrindo com lojas, escritórios e Bingo no piso inferior.

De 1986 até 1995 o Panorâmico abria esporadicamente. Devido aos preços altos, serviços baixos e lentos, e a sua localização, o Panorâmico começou a ter problemas financeiros. O Bingo nunca foi o sucesso que esperavam, e a discoteca que esteja projectada nunca chegou a ser feita por falta de verbas.

Em 1996 o Panorâmico fecha portas, e só é devolvido a CML em 2001, depois de ter sido usado com armazém de materiais para construção civil.

A 20 de Setembro de 2003 foi celebrado um evento "Super Panorâmico Super Party", que recebeu entre 500 a 1000 pessoas. Devido a este evento foram requerida obras de restauração para permitir a segurança das pessoas. Foram criadas novas escadas, retiraram vários vidros partidos e pintaram as paredes.

Em 2004, a Câmara de Lisboa decidiu arrancar com obras de adaptação para criar escritórios para os gabinetes de Actividades Económicas, Ambiente Urbano e de Obras e Infraestruturas de Saneamento, obras que nunca foram concluídas e o projecto ficou parado.

Em 2007, a CML quis voltar a pegar deste edifício, mas não havia verbas suficientes pois ainda é preciso 20 Milhões de euros, e a demolição deste edifício estava completamente fora de questão. Posto isto a Câmara decide procurar por um parceira para poder realizar as obras.

Só em 2017 a CML decidiu tornar o Panorâmico num miradouro e centro de exposições. Para isto a Câmara teve de efectuar obras para manter a segurança das pessoas, tirando todos os vidros, colocando grades, fechando algumas divisões, colocando caixotes do lixo e colocando um guarda.

Hoje em dia o Panorâmico de Monsanto é visitado por todos, e tornou-se num ponto turístico da capital. A sua entrada é gratuita e está aberto todos os dias entra as 9h e as 18h.

 

Publicado em 01 de Julho de 2019

Fotografias de Julho e Agosto de 2018