Linguagem

In Search For "Lost Memories"

by Daniel Novo Gaspar

flag-waving-250.png
flag-waving-250 (1).png

PT  |  EN

Um dos maiores desafios para mim é conseguir chegar às minhas memórias, perder-me nelas como me perco tantas vezes por caminhos que no fim me levam a reviver histórias que achava já ter esquecido. Agora imaginem encontrar memórias que não são minhas, não me pertencem, que me guiam por espaços que não conheço, objetos que não me dizem muito, caminhos já percorridos por outros e o que deles resta é só história, agora esquecida.

Partindo à descoberta, realço as casas e quintas senhoriais, as que em tempos foram habitadas por senhores nobres ou de grandes posses, e pelas suas famílias.

Assim como a idade destas casas senhoriais, inspirei-me em pinturas do seculo XIX. Distinguem-se pela sua arquitectura, decoração, e pela capacidade de resistir ao tempo e ao vandalismo. São autênticos museus de porta aberta.

Devido há falta de documentação, investigar estas casas são desafios frequentes. Saber a sua história e a de quem lá vivia torna-se, por vezes impossível, e muitas vezes o que me resta é observar e instintivamente recolher informação.

No seu geral, a primeira imagem que nos surge quando pensamos em lugares abandonados é um espaço ou edifício em ruína, destruído, vazio. Por vezes essa não é a realidade. Existem lugares cheios, ricos em histórias, sejam eles casas, quintas, palácios, hotéis, escondem um universo de segredo e mistério que tenho gosto de desvendar. E com este projecto quero mudar um pouco essa ideia, mostrando um lado mais clássico e senhorial de vários lugares abandonados em Portugal.

Neste projecto mostro que para além do próprio espaço, também são os objetos que compõem e dão vida a estes lugares esquecidos. Retrato a ideia do mistério que cada espaço carrega, e o não saber o que vou encontrar, aquilo que pode estar lá dentro.

Não se trata apenas de documentar estes lugares esquecidos, deles eu procuro as suas características e personalidade, não só pela sua beleza, mas principalmente pela maneira como a luz invade e ilumina os espaços, enquanto única forma presente e viva. Uma exploração, requer investigação, enriquece a minha cultura, gera criatividade, e me é fonte de inspiração.

PROJECTO CONCLUÍDO